Trabalhadores da Administração Pública intensificarão luta até à votação final do OE
Publicado | 2019-12-27 04:20:27
 
Segundo um comunicado do sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos, (SINTAP), condena a postura assumida pelo Governo quando, perante a abertura negocial existente, “responde com o que só pode ser encarado como um simulacro de processo negocial, apresentando uma proposta de aumentos salariais de 0,3%, sem actualização do subsídio de alimentação nem do valor das ajudas de custo, e que pode ser facilmente vista como um sinal de desvalorização do trabalho, dos trabalhadores e, consequentemente, dos próprios serviços públicos, e também de que a legislatura que muito recentemente se iniciou ficará marcada por mais um ciclo em que a política de baixos salários continuará a ser o mote para a Administração Pública.”
 
O comunicado adianta ainda que o Governo “ao avançar com uma proposta de 0,3% para os aumentos salariais para a Administração Pública, proposta esta à qual vão faltando os adjectivos qualificativos, o Executivo parece querer dizer olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço, dando um exemplo que é péssimo por si mesmo e que, por simpatia, acabará também por condicionar a negociação colectiva em todos os sectores da economia nacional, com óbvios prejuízos para todos os trabalhadores.”
Perante isto o sindicato apela à união dos trabalhadores e a todas as formas de luta que venham a adoptar, já em Janeiro, antes da votação final global do Orçamento do Estado para 2020, agendada para 6 de Fevereiro, tendo em vista, não apenas a defesa dos seus direitos mas também a defesa dos Estado Social e dos serviços públicos.   
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
34 36
14 15
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda