Candidatos à Distrital de Beja do PSD - Marciano Lopes contra o centralismo - Gonçalo Valente quer formar quadros autárquicos
Publicado | 2019-02-14 04:13:31
 
A distrital de Beja do Partido Social Democrata vai eleger o novo líder no próximo dia 16 deste mês.
 
À nova liderança apresentaram-se dois candidatos, Marciano Lopes e Gonçalo Valente. A Planície falou com os candidatos que sublinharam as linhas gerais da sua candidatura.
Marciano Lopes apresentou o programa da sua candidatura às eleições da distrital de Beja do PSD. O candidato em declarações à Planície sublinhou os quatro pontos essenciais do manifesto: “primeiro o estado em que o PSD se encontra na região, fruto de várias causas, não só internas como externas. O objectivo é mesmo fortalecer o PSD para cumprir a missão que sempre teve no distrito de Beja; em segundo é a qualidade da democracia. Pretendemos introduzir um debate em que haja um resultado final de forma a saber de que forma os simpatizantes podem participar nas decisões políticas. Apoiar a reorganização e redinamizar a JSD a nível distrital e concelhio, promover a militância; terceiro, nós achamos que temos um projecto um projecto que defende o Baixo Alentejo que anda a marcar passo há anos. A imagem de marca da minha candidatura é combater o centralismo. Uma das propostas do manifesto é mesmo um pacto interpartidário contra o centralismo; quarto, trabalhar em equipa com jovens e alguns históricos do partido.”
Por sua vez Gonçalo Valente outro dos candidatos à presidência da Distrital de Beja do PSD com um programa composto por 11 propostas para cumprir  durante o mandato.  O candidato explicou à Planície que “a grande novidade será uma convenção anual que se irá realizar no final de cada ano civil com a presença de quadros nacionais onde o objectivo é debater as preocupações do distrito.” 
Dentro das prioridades Gonçalo Valente aponta “a criação de maiores laços entre as concelhias, formar quadros autárquicos, fomentar a militância activa, mobilizar e motivar aqueles que já são militantes e fazer com que os que em determinada altura viraram as costas ao partido, regressem, porque todos são importantes.” 
O candidato adiantou ainda que “vamos reactivar as secções de Alvito, Almodôvar e Serpa, e criar núcleos em concelhos onde o PSD tem menos expressão, no sentido de um maior acompanhamento.”  
 A recuperação dos roteiros sectoriais do PSD e a realização de conferências sobre temas de interesse para o território, entre eles a saúde e a agricultura, como forma de fazer um diagnóstico mais real e verdadeiro do território é outra das apostas desta candidatura de Gonçalo Valente.
Os candidatos vão a votos neste sábado para eleger o novo líder distrital.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
34 37
14 18
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda