GNR debate-se com falta de viaturas, patrulhamento com dificuldades
Publicado | 2018-11-28 04:06:14
 
A Guarda Nacional Republicana debate-se entre outras coisas, com falta de viaturas para poder realizar patrulhamentos e responder às necessidades de segurança da população.
 
O Distrito de Beja tem um total de 35 postos numa área que é a maior do país, possuindo somente 8 carros. O destacamento de Moura, que cobre uma área de cerca de mil km2, com 11 postos tem 2 viaturas, uma vez que as outras ou estão velhas ou avariadas. 

O Vice presidente da Associação dos Profissionais da Guarda, (APG), José Miguel, explicou à Planície que esta realidade com que os profissionais se debatem é transversal a todo o território. “O Ministro da tutelas, disse que nesta legislatura foi feito o maior investimento em viaturas. O que é certo é que elas ainda não apareceram ou se aparecem, algumas, ficam nos comandos territoriais nas cidades. Na actividade operacional ainda não surgiram.  Neste momento a Guarda tem 1/3 das viaturas paradas a nível nacional. Não sei o que este governo pensa que é a estrutura base da GNR. Estamos deficitários de tudo. Acontece que uma viatura por vezes serve para dois ou mais postos. Está na altura de dizer basta, queremos ser tratados como profissionais.”
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
14 16
6 6
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda