Alqueva garante reforço de água a todos os perímetros de rega confinantes desde que as regras sejam cumpridas
Publicado | 2017-07-10 04:03:00
 
A EDIA garante que a reserva de água que hoje existe em Alqueva é suficiente para mais dois anos sem afluências significativas e capazes de responder às necessidades agrícolas e de abastecimento público na sua área de influência.
 
A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva esclareceu ainda que contrariamente ao que tem vindo a público, o Projecto de Alqueva tem capacidade para satisfazer todas as necessidades de água para a agricultura na região equipada pelo sistema, 120 mil hectares actualmente, estando apenas limitado pela capacidade dos adutores às diferentes albufeiras, tal como acontece em qualquer sistema de distribuição de água.

Relembrando que se alguma Associação que gere outras barragens receptoras de água de Alqueva necessita de 20, 30 ou 40 milhões de metros cúbicos, e se sabe que o sistema tem capacidade para debitar cerca de 7 milhões por mês, então esse volume de água terá de ser solicitado à EDIA vários meses antes.

A EDIA reagiu desta forma às notícias que têm vindo a público, nomeadamente sobre a questão do alegado “não cumprimento do fornecimento de água” à albufeira da barragem de Odivelas, gerida pela Associação ABORO, que segundo a empresa não têm em conta os “timings” dos pedidos efectuados à EDIA.

A ABORO terá solicitado à EDIA dia 09 de Março, 37 milhões de metros cúbicos a serem fornecidos de Maio a Setembro. A 19 de Abril decidiu antecipar esse pedido solicitando à EDIA que esse mesmo volume, 37 milhões de metros cúbicos, fosse colocado em Odivelas até ao dia 30 de Maio.

Para a EDIA é fácil de perceber que em muito menos de metade do tempo será impossível cumprir o que deveria ser feito em quatro ou cinco meses, tendo dado conta disso mesmo à ABORO.

A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva garante o reforço do fornecimento de água a todos os perímetros de rega confinantes com Alqueva, desde que o respectivo pedido seja efectuado com a antecedência mínima de acordo com o caudal que em cada caso o sistema pode garantir.

Ainda segundo a EDIA se essa gestão for respeitada, como acontece nos cerca de 85 mil hectares que hoje regam efectivamente a partir de Alqueva e geridos pela EDIA, então não haverá razões para sobressaltos.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
21 20
12 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda