Lida sentença do processo que envolvia o Lar de Amareleja
Publicado | 2017-04-20 04:21:49
 
Na última terça-feira, dia 18 de Abril, no Tribunal de Moura foi lida a sentença relativa a um processo que envolvia o Lar Dr. Domingos Pulido Garcia, do Centro Social de Amareleja, e a antiga directora técnica do Lar, Carla Martins.
 
A arguida, de 45 anos, estava acusada de um crime de abuso de confiança, por alegadamente fazer suas quantias do lar, resultantes de pagamento de mensalidades dos utentes das várias valências e outro de subtracção de documento, por, supostamente, ter levado os canhotos dos recibos emitidos e não lançados na contabilidade.

De acordo com a acusação, entre Janeiro de 2005 e Maio de 2006, a arguida ter-se-á apoderado de verbas de 62 utentes, no valor superior a 39 mil euros. 

Na leitura da sentença a magistrada não deu como provado que terá sido a arguida a levar os triplicados dos recibos emitidos, uma vez que nenhuma testemunha terá provado em concreto ter visto a arguida levar os mesmos, pelo que foi absolvida do crime de subtracção de documento.

Quanto às verbas, a Juíza deu como provado, que foram depositados na conta de Carla Martins 6.726,46 euros, pelo que a moldura penal passou de pena de prisão para multa, tendo a arguida sido condenada a pena de 350 dias de multa, à razão de 6,50 por dia, o que perfaz um total de 2.275 euros. Para além disso terá ainda de pagar, ao Centro Social de Amareleja, uma indeminização de 6.726 euros.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
15 18
11 8

Nome:

Email:

 
 
 
Abrir Aviso
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda