Aposta na fileira do amendoal no Alentejo
Publicado | 2021-01-12 04:31:16
 
O Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL) iniciou um novo projecto intitulado “Inov-Amendo-AL: Microenxertia in vitro de amendoeiras seleccionadas para a promoção do amendoal no Alentejo”.
 

Com um financiamento superior a 125 mil euros, este projecto, procura potenciar a competitividade do sector dos frutos secos no Alentejo, nomeadamente da amêndoa, através da introdução no mercado de plantas de amendoeira sadias e de valor acrescentado, obtidas com o auxílio de ferramentas biotecnológicas inovadoras.

A investigadora responsável do projecto, Liliana Marum, referiu à Planície que “o mesmo pretende dinamizar o sector dos frutos secos, um dos sectores com grande crescimento em Portugal. O País tem tido uma longa história de produção de amêndoa, mas nos últimos 6 anos, a área de cultivo de amêndoa, aumentou significativamente, nomeadamente no Alentejo, onde se observou mais 80% da sua plantação”.

“É bastante importante, acompanhar este crescimento de uma forma bastante sustentável. Este projecto que teve início no final do ano passado, procura transferir todo o conhecimento científico e tecnológico, que tem vindo a ser adquirido, na área da propagação de material genético de qualidade, neste tipo de espécies, por uma equipa do CEBAL”. Referiu a investigadora.

Este é um projecto que segue a estratégia do CEBAL na aposta do conhecimento científico junto da comunidade, propondo soluções biotecnológicas que permitem ao tecido produtivo e empresarial potenciar os recursos vegetais mais adaptados à região. Esta estreita ligação com o tecido produtivo local permite disponibilizar de forma sustentável, consistente e inovadora, soluções para os problemas e desafios do território.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda