2011-12-23 05:17:00

Tradições de Natal

A árvore, o presépio e os presentes são elementos indispensáveis para celebrar o Natal. Mas de onde chegam estas tradições? Sendo Portugal um país maioritariamente católico, a maioria das pessoas celebra esta quadra, de acordo com as tradições religiosas, embora tenham sido já introduzidos outros aspectos, importados de diferentes culturas. O presépio, talvez uma das tradições mais enraizadas em Portugal, surge por volta de 1233, sob influência franciscana, sendo uma forma de retratar o momento do nascimento de Jesus. A árvore de Natal chega apenas em meados do século XX, sendo somente a partir dessa altura que começa a coexistir com os tradicionais presépios, nas casas portuguesas. Os presentes, que primeiramente eram “trazidos” pelo Menino Jesus, passam também, sob influência de outras culturas e também muito por culpa de filmes americanos, a ser entregues pelo Pai Natal. Ainda assim, há muitas tradições portuguesas que se mantém no século XXI, como a Missa do Galo, celebrada à meia-noite do dia 24 de Dezembro, vésperas de Natal, embora em Moura, nos últimos anos, a hora da missa seja um pouco mais cedo, para que as pessoas possam estar em casa à meia-noite, hora em que são abertos os presentes. De resto, é a partir da noite de 24 que se começa a celebrar o Natal. Tradicionalmente, as famílias juntam-se para o jantar, onde aqui, na nossa terra, é servido o bacalhau cozido com batatas e couve e a carne de porco à alentejana. Por esta altura também, é tradição fazer as filhoses, as azevias e os sonhos. Embora cada vez mais comercializado, o Natal ainda continua a ter um significado importante nas famílias portuguesas.

   
Leia esta e outras notícias na integra, na edição impressa do Jornal A Planície.

 



 
     
     
 
.
  No ar agora:
  .
Pub
.